sexta-feira, 30 de abril de 2010

Escola dia 02/05

Olá poessoal, não se esqueçam nesse domingo, teremos aula com o Luciano Volante, que vai falara sobre o Evangelista Lucas, não percam, nos encontramos lá.

Shalom!

quarta-feira, 28 de abril de 2010

terça-feira, 27 de abril de 2010

Escola dia 25/04

Olá pessoal! A escola desse domingo foi muito legal, tivemos a aula com o tema Técnicas de Apresentação de Mensagens, conduzida pela Edna, coordenadora do nosso GED. Abaixo segue a foto:



Shalom! Fiquem com Deus!

sábado, 24 de abril de 2010

Contra os ataques à Igreja

Há meses o mundo está sendo abalado por relatos de casos de abusos sexuais, inclusive na Igreja Católica. São atingidas crianças, a respeito das quais Cristo diz: "Quem provocar a queda de um só destes pequenos que crêem em mim, melhor seria que lhe amarrassem ao pescoço uma pedra de moinho e o lançassem no fundo do mar" (Mt 18,6).


A situação é muito séria. Os ataques ao Papa e à Igreja saíram totalmente de controle. Com este artigo especial a AIS se posiciona sobre esse assunto.

A cusparada atingiu o jovem padre de cheio no rosto. Transbordando ódio, o turista desconhecido lhe gritou: “Pedófilo asqueroso!”. Silêncio. Os outros visitantes da Acrópole de Atenas olham distraidamente para a perfeita fileira de colunas de mármore. Ninguém faz nada, enquanto o jovem padre, cabisbaixo, limpa o rosto. Por esses dias se escutam muitas histórias desse tipo. Ao descer de um trem, um padre que há quarenta anos serve abnegadamente o Evangelho é alvo das mesmas palavras de insulto. Uma casa de religiosas recebe telefonemas anônimos ofensivos...

Uma histeria coletiva se espalha, insuflada pelos poderosos da Televisão e pelos intocáveis papas de um jornalismo pseudointelectual. É lógico que algumas reações espontâneas sejam compreensíveis. De consequência, um sofrimento incrível. A vergonha se manifesta. Os abusos, o silêncio culposo, os erros estúpidos, o covarde desvio de atenção - tudo isso são fatos reais e muito graves. Jesus Cristo terá de lavar o rosto de sua Igreja. Todos nós teremos de redescobrir a audácia de Deus ao confiar a homens tão fracos um dom tão grande como é o sacerdócio.

Essa hora triste exige que todos nós saibamos redescobrir o valor da reparação solidária e façamos penitência por aqueles 0,1 por cento de padres que comprovadamente cometeram esses crimes tão deploráveis. Mas também deveríamos agradecer de joelhos por todos aqueles que mantêm com fidelidade sua consagração e missão. Eles são mais de 400.000 espalhados pelo mundo todo.

A indústria superficial do entretenimento, a frivolidade tornada sistemática que domina praticamente todo o público, criaram um ambiente geral de ingenuidade simplista, de superficialidade e de escasso senso crítico e reflexão. Existe uma multidão amorfa só à espera da nova manchete sobre namoricos e brigas de políticos, de atores ou de cantores da moda. Vazio espiritual. Nesse vácuo se empurra uma imagem estereotipada do sacerdote; cospe-se no seu celibato; sua doação a Deus é entregue ao escárnio. Os resultados de pesquisas muito sérias são ignorados ou distorcidos. Ninguém dá atenção para os especialistas quando comprovam que não existe nenhuma relação entre o celibato dos padres católicos e a tremenda profanação representada por qualquer abuso quando cometido por ministros consagrados.

Basta! É imoral continuar torcendo os fatos dessa forma. Estamos saturados dessa farsa, desse duplo abuso: um problema que é inegável está sendo usado para solapar com más intenções a legítima autoridade moral da Igreja, dessa Igreja de Pedro e de Paulo, dessa Igreja de João Paulo II e de Bento XVI.

Nós vivemos num mundo pelo avesso. Num arranha-céu em Nova York, um jornal dita à sociedade o que ela deve pensar e em que deve acreditar. Ele põe em circulação afirmações sem fundamento. Depois, não aceita as contestações baseadas em fatos contundentes e em investigações sérias dos mais renomados especialistas. A campanha pré-fabricada a sangue frio tem de continuar. Não é a verdade o que importa. O que vale é a tenebrosa intenção de silenciar a voz da Igreja Católica, que se faz escutar no mundo inteiro. Porque a Igreja é uma das poucas instituições que se atrevem a enfrentar a ditadura do relativismo do nosso tempo. Isso a torna incômoda. É por isso que querem eliminá-la.

Nessa situação, ninguém tem o direito de desviar o olhar, como fizeram aqueles turistas da Acrópole. Todos são chamados a serem ativos. A resposta começa no coração e na consciência de cada um. Penitência e oração são as primeiras coisas. Também é importante conversar à mesa no círculo familiar, esclarecer as idéias entre os colegas de trabalho ou de escola. É questão de seriedade na fé.

Trinta e dois anos atrás tive a ocasião de conhecer pessoalmente Bento XVI - um dom de Deus. Há pouco tempo me encontrei novamente com ele para uma conversa intensa de meia hora sobre questões da Nova Evangelização. O Papa analisava as situações com clareza total. Sempre chegava ao âmago das coisas. A cada momento ele irradiava benevolência e alegria. Esse sacerdote extraordinário, talvez a pessoa mais culta do nosso tempo, sempre aderiu com fidelidade inquebrantável à doutrina de Cristo e à sua aplicação coerente na vida real. Sem medo. Pelo contrário. Com razão o arcebispo de Viena, o Cardeal Christoph Schönborn, e o arcebispo Nichols de Westminster na Inglaterra, chamaram a atenção justamente nesses dias para esse fato, que pode ser facilmente comprovado inclusive pela mídia: já há muitos anos Joseph Ratzinger foi aquele que mais trabalhou para extirpar o câncer criminoso do abuso sexual. É ele que nos ensina que não se defende a boa fama da Igreja acobertando piedosamente os fatos, ou brandindo uma retórica feita de meias verdades. Só a plena verdade nos possibilitará sair dessa noite da vergonha para a luz do sol de um novo começo.

Na sua recente "Carta aos católicos da Irlanda", Bento XVI nos propôs toda uma série de providências imediatas muito precisas. Todos deveríamos aprender com essa crise.

A primeira medida: a preocupação com as vítimas, com o máximo respeito e delicada eficiência. Trata-se de reparar o máximo possível os danos e aliviar as profundas chagas abertas. Depois: orientar a seleção das vocações ao sacerdócio por critérios ainda mais rigorosos, para excluir esses casos o máximo possível. (Isso implica também a colaboração de profissionais apropriados. E para isso a Ajuda à Igreja que Sofre gostaria também de oferecer ajuda aos Bispos.) Nesse contexto é necessário continuar desenvolvendo uma pedagogia especial na questão da afetividade dos futuros sacerdotes. Também os padres que já atuam na pastoral devem ser acompanhados de maneira mais intensa para que possam irradiar uma santidade ainda maior em sua vida e para que, crescendo ainda mais a sua paternidade na fé, possam doar um afeto sólido e maduro.

Um psiquiatra de renome internacional, Manfred Lütz, vê a sociedade diante de um transbordamento emocional, numa espécie de crise de puberdade da cultura pós-moderna. Não poucas das acusações infundadas seriam ataques irracionais, como de adolescentes, contra a Igreja. Elas seriam desfechadas porque a Igreja é uma instituição grande, que defende princípios não negociáveis. No fundo, diz Lütz, pretende-se destruir a imagem do pai na sociedade. Por isso se rejeita o Papa e se ataca injustamente a autoridade moral dos padres. E nós poderíamos acrescentar: em última análise trata-se de um ataque à mensagem central do Evangelho proclamado por Jesus: Deus é o "Pai nosso", cheio de justiça e de compaixão.

Antes de crucificarem Cristo, eles bateram e cuspiram nele. Após a Sexta-feira Santa veio a Páscoa. Mas o rosto de Jesus continua chorando na sua Igreja. A Ajuda à Igreja que Sofre permanecerá sempre como um instrumento a serviço do Bispo de Roma, para proteger os cristãos perseguidos e para auxiliar os anunciadores do Evangelho. Nesse momento histórico o ponto mais nevrálgico da Igreja é o futuro do sacerdócio... Talvez o sacerdote que hoje está mais em necessidade se chame Bento XVI. Não o deixemos sozinho. E vocês, não nos deixem sozinhos quando procuramos juntos ajudar o Papa. Sejam muito generosos.

Recebido por email da Aline Borges.

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Escola dia 25/04

Neste domingo teremos aula com a Edna, coordenadora do GED de Apucarana, falando sobre Técnicas de Apresentação de Mensagens. Aguardamos todos!
E não se esqueçam nesse sábado, teremos um terço com churrasco, não esqueçam de confirmar com o Pepe.

Shalom!

Visita à Casa de Misericórdia

Foi maravilhosa a visita à Casa de Misericórdia, uma visita com muita alegria e discontração, que Deus nos ilumine para que continuemos sempre assim. Seguem algumas imagens:




Shalom! Fiquem com Deus!

                            

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Escola dia 18/04




Olá pessoal! A escola desse domingo esteve muito animada e contamos com a presença de 15 novas pessoas: Aguinaldo, Maicon, Robson, Fernanda, Ricardo, Marcelo, Marcio, Maria Luisa, Etori, Francieli, Luis, André, Renan, Douglas e Bruno, esperamos contar com todos sempre! Seguem algumas fotos:










Shalom! Uma semana abençoada a todos!

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Pedido

Irmãos, me foi pedido que postasse essa mensagem da Aline do Fernando, segue o texto:

Apucarana, 16 de Abril de 2010.


Venho pedir perdão a todos vocês que direta ou indiretamente eu magoei com minhas palavras e atos bruscos que foram ditos e feitos em momentos que passei de stress, mas que não podem ser justificados por isso...
Não sei o que anda acontecendo comigo para que eu aja tão movida pela raiva e não pense em ninguém além de mim mesma.. Por isso peço perdão...
Quero que saibam que nunca tive a intenção de magoar alguém pelo meu jeito de ser, por isso a partir de hoje prometo a mim mesma mudar tudo ou pelo menos o que eu conseguir mudar em mim mesma que faz mal às pessoas.
Isso não é fácil, portanto precisarei de todos vocês que são as pessoas que amo e que considero meus verdadeiros amigos.
Quero que saibam que isso que falo não é da boca pra fora e sim do mais fundo do meu coração, não quero ser essa pessoa que os outros falam pelas costas que me suportam, quero ser alguém amigável, compreensível e que os outros falem que me adoram...
Por isso peço perdão a todos vocês que trabalham comigo na Nova Manta, a todos vocês da Escola Vivencial Jovem, a todos vocês do GED, à minha família, à minha futura família e aos meus grandes amigos...



Um grande abraço,



Aline Cristina Mantovani Borges.

Visita a Casa de Misericórdia

Neste feriado dia 21/04 visitaremos a Casa de Misericórdia, nos encontraremos as 13:30 em frente a Capela do São José pra estar lá às 14:00 horas. Vamos tomar café da tarde lá, então quem puder leve bolo e refrigerante.

Aguardamos todos lá!

Shalom!

Missa na Rede Vida

Nosso assessor eclesiastico do GEN, Pe. José Gilberto Beraldo, celebrará missa no canal Rede Vida no próximo dia 21 de Abril/2010 as 19hs, logo após, as 20hs concederá entrevista ao Programa Tribuna Independente deste mesmo canal. Vamos divulgar e prestigiar, Pe. Beraldo está há mais de 40 anos a frente do MCC no Brasil e tem muito a nos ensinar.

Shalom!

quinta-feira, 15 de abril de 2010

terça-feira, 13 de abril de 2010

Noite do Reencontro

Nesta quinta-feira acontece a noite do reencontro, no Centro Comunitário da Catedral, começa às 20 horas, mas nós temos que estar lá antes, pra fazer a recepção. Se possível levar um salgado ou refrigerante também.
Vamos marcar presença e fazer a festa lá!

Shalom! Fiquem com Deus!

terça-feira, 6 de abril de 2010

O Papa incomoda

O Papa incomoda muita gente


Jequié, 31 de março de 2010


Pessoas incomodadas fogem dos desafios dos ensinamentos de Jesus com as exigências do Evangelho que o Papa tem a coragem de apresentar ao mundo de hoje sem acomodações à mentalidade do tempo. Muitos procuram desacreditar o mensageiro para enfraquecer a mensagem.
Ficam remexendo na lata de lixo da história para fazer propaganda dos erros cometidos por pessoas da Igreja em vinte séculos. O exemplo negativo mais citado é o Papa Alexandre VI, um homem muito ambicioso que teve três filhos no tempo que era Cardeal. Seus inimigos cuidaram de multiplicar seus pecados. A revista VEJA chega a dizer que ele teve inúmeras amantes e filhos.
Mesmo quem não acredita em tanto exagero se pergunta como foi que a Igreja sobreviveu. Desde o início, ela superou escândalos como a traição de Judas e a negação de Pedro que os evangelhos não escondem.
Um artigo da VEJA desta semana apresenta de maneira tendenciosa casos de pedofilia de padres para atingir a Igreja e o Papa que teria acobertado tais abusos. Fala de dezenas de milhares de pessoas que foram agredidas física ou sexualmente por membros da Igreja na Irlanda no século passado. Botam na mesma panela com crimes de pedofilia os castigos físicos em casas de recuperação, coisa corriqueira na educação naquele tempo, especialmente nas tentativas de reeducação de jovens infratores.
VEJA traz acusações de um advogado de cinco homens que no tempo de meninos sofreram abusos de um padre. Diz que o padre não foi punido pelo Cardeal Ratzinger, apesar das denúncias levadas a Roma trinta anos depois. O caso é apresentado como prova que, para o Vaticano, defender os próprios interesses é mais importante que mitigar os sofrimentos das vítimas. VEJA omite o fato que a justiça civil não achou provas para condenar o malfeitor e que o padre estava tão velho e doente que já não era perigo para ninguém.
Outra prova trazida para dizer que o Papa era condescendente com padres pedófilos: Acolhida de um padre acusado em outra diocese, no seu tempo de arcebispo de Munique. O texto omite que o padre foi acolhido para tratamento psiquiátrico. Munique tinha 1700 padres. Naquele tempo ainda não estava tão claro que pedofilia não tinha cura. Nossa diocese tem apenas 40 padres, e o bispo não tem o poder de prevenir um passo errado de algum.
Qualquer dia destes vai aparecer alguém a denunciar o próprio Jesus como culpado pela traição de Judas. Segundo o condiscípulo João, Judas já tinha precedentes de surrupiar dinheiro da caixa comum, em vez de ajudar os pobres. Por que Jesus não mandou embora o administrador corrupto?
Aliás, já não falta quem diga que o próprio Deus seja culpado pelos pecados dos homens, a começar com a queda do primeiro casal, na tentação de comer do fruto proibido. Segundo Saramago bastava que Deus fizesse uma boa cerca para impedir que chegassem perto daquela árvore atraente. Para que não pudessem pecar nem precisava fazer cerca. Bastava não criar tal árvore para evitar qualquer tentação. Ou não proibir nada. Ou não nos dar o presente perigoso da liberdade e da responsabilidade. Ou interferir com seu poder, toda vez que alguém quisesse fazer uma coisa errada. Se você gosta de filosofia, tente imaginar o que você faria se estivesse no lugar de Deus. Criaria apenas robôs ou bichos programados para não poder fazer nada de mal?
Seria melhor que a Igreja ainda tivesse o poder de polícia como na idade média? A missão da Igreja é tentar educar os fiéis para a responsabilidade. Pode suspender um padre do uso de ordem, mas não pode prender ninguém. Nem pode impedir que qualquer um se apresente como bispo, ou que igrejas fundadas no século passado se apresentem como igreja católica. Notícias de escândalos com falsos padres e bispos respingam sobre a Igreja. Quanto a práticas homossexuais, fica perigoso condenar. Podem surgir acusações de homofobia. Tempos de confusão. Tempos difíceis para o Papa e para bispos.

Perguntas aos que acusam o Papa de ter acobertado padres pedófilos

1. Por que será que tantos ficam incomodados com os recados do Papa?

2. Por que fazem tanta propagando de coisas erradas na Igreja?

3. Por que aproveitam os casos de pedofilia de padres para acusar o Papa de falta de firmeza no trato do problema?

4. Se os juízes brasileiros têm tanta dificuldade em julgar casos atuais de corrupção que acontecem debaixo do seu nariz, como querem os julgadores do Papa que seja fácil para o Vaticano julgar casos antigos e distantes denunciados décadas depois?

5. Por que será que as denúncias sobre casos antigos de difícil verificação aumentaram tanto, quando denunciantes e seus advogados passaram a ganhar indenizações da Igreja?

6. Quantos são os incomodados com as exigências de um Papa intransigente na doutrina e na moral?

7. Querem atingir o mensageiro para enfraquecer a mensagem?


+ Cristiano Krapf, bispo de Jequié

Recebido por email do John.

40° Cursilho Masculino Jovem

Nesse fim de semana acontece o 40° Cursilho Masculino Jovem da Diocese de Apucarana, nossa escola terá 11 representantes: dando mensagem: Marcio, José, Fernando e Vinicios, no corredor: Mauricio, Terra Seca, Marlon, Ronaldinho, Alessandro e Cássio no folclore e na cozinha: Fabio e Matheus.
Vamos orar pra mais esse acontecimento... nesse domingo na escola estaremos rezando um terço em alavanca ao Cursilho. Até lá.

Shalom!

segunda-feira, 5 de abril de 2010

Escola dia 04/04

Olá pessoal! Neste domingo a escola foi conduzida pela Andressa e  pelo Araponga, que fizeram perguntas sobre a Páscoa, com direito a chocolate. Tivemos também a presença de uma nova cursilhista, a Claudia e ainda recebemos a visita de Renato, Franciele e Lucas de Rio Bom.
Seguem algumas imagens:
 

 
















Ótima semana a todos! Shalom! Fiquem Com Deus!